Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Bancários comemoram 160 anos da Caixa com mobilização nacional

Equipe BR Político

Funcionários da Caixa Econômica Federal fizeram mobilização nesta terça, 12, contra o processo homeopático de privatização e desmonte da instituição, que hoje completa 160 anos.

Além da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae), as mobilizações de hoje foram coordenadas pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e contaram com o apoio das 27 associações representativas dos trabalhadores da Caixa nos Estados (Apcefs). As ações começaram às 11h por meio de um tuitaço com as hashtags #MexeuComACaixaMexeuComOBrasil e #PrivatizaNão.

Presidente da Fenae, Sergio Takemoto, em ato em defesa do banco na Matriz 1, em Brasília. Foto: Augusto Coelho/Fenae

Os trabalhadores também protestaram contra a chamada “gestão pelo medo”, em que denunciavam a pressão da empresa para adesão a Programas de Desligamento Voluntário (PDVs), reestruturação do banco sem diálogo com os empregados, jornadas exaustivas, condições de trabalho inadequadas para o home office e cobrança de metas consideradas abusivas no contexto da pandemia. No tuitaço, também foram usadas as hashtags #MetaDesumanaÉCrime, #MetaDesumanaÉExploração e #MenosMetasMaisContratação.

Com a saída de 2,3 mil empregados no último Programa de Desligamento Voluntário, o déficit de trabalhadores na Caixa, segundo a Fenae, se aproxima de 20 mil, colocando em risco real a capacidade e a qualidade da assistência à sociedade. “É preocupante o desligamento desses trabalhadores sem indicação do banco para a contratação de novos empregados”, alerta o presidente da Fenae. “Além de piorar as condições de trabalho, a falta de bancários pode prejudicar o atendimento à população; principalmente, neste contexto de pandemia”, observa Sergio Takemoto, presidente da entidade.

Raio X

Atualmente, a Caixa Econômica Federal tem 54 mil pontos de atendimento no País. São 4,2 mil agências e postos, 8,6 mil correspondentes bancários, 12,9 mil lotéricos e 28,3 mil caixas eletrônicos (ATM’s). Além disso, a Caixa é o único banco que chega aos locais mais remotos por meio de oito unidades-caminhão e duas agências-barco na Região Amazônica.

Com esta capilaridade, a CEF contabiliza 145,4 milhões de correntistas e poupadores, sendo 143,1 milhões de pessoas físicas e 2,3 milhões de pessoas jurídicas.

A empresa, que chegou a ter 101,5 mil trabalhadores em 2014, conta atualmente com 84,2 mil empregados. Apesar disso, o banco trabalha com a estimativa de desligamento de 7,2 mil trabalhadores por meio de PDV.

Tudo o que sabemos sobre:

CEF160 anosFenae