Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Banco de perfis genéticos coletou dados de 67 mil presos em 2019

Equipe BR Político

O Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG) coletou 67 mil perfis de criminosos condenados no ano, de acordo com anúncio feito nesta quinta-feira, 5, pelo Ministério da Justiça. O número supera a meta estabelecida pela pasta para o ano, que era de 65 mil perfis.

De acordo com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, a meta, até 2022, é  ter o Banco Nacional completo. “Resultado, investigações criminais mais eficientes, identificando a autoria de crimes pelo cruzamento do DNA encontrado em material colhido no local do crime com os perfis genéticos já existentes no banco”, escreveu o ex-juiz no Twitter.

A ampliação da coleta é um dos principais pontos do Pacote Anticrime. A proposta prevê a ampliação da coleta para condenados por crimes intencionais. Do total coletado, aproximadamente 55 mil já estão cadastrados no BNPG, o aumento foi de 685% se compararmos com o relatório divulgado em novembro de 2018. No Brasil, a obrigatoriedade na identificação do perfil genético dos condenados existe desde 2012.