Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Barroso diz que falha em supercomputador do TSE atrasou totalização de votos

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, afirmou na noite deste domingo, 15, que o atraso na divulgação dos resultados das eleições municipais ocorreu pela falha no núcleo de um processador do “supercomputador” que processa a totalização no âmbito do TSE. O ministro afirmou que essa falha e a demora na apuração não significa consequências ao resultado.

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso Foto: Reprodução/TV Cultura

“A ideia de que a demora possa trazer algum tipo de consequência para o resultado não faz nenhum sentido”, afirmou em coletiva. “Ao início da votação, produz-se uma impressão do que se chama a zerésima, para demonstrar que não havia nenhum voto naquela urna e ao final do dia se imprime o boletim daquela urna com o fiel resultados dos votos que ali foram depositados. O resultado das eleições já saiu no momento em que a urna imprimiu o boletim”, explicou. Segundo ele, os dados dos votos para a totalização chegaram “totalmente íntegros”.

“Os tribunais regionais eleitorais com grande eficiência encaminharam as informações e os dados para o TSE. Os dados chegaram para totalização totalmente íntegros e apenas o processo de somar essas mais de 400 mil sessões que enviaram o material é que ficou extremamente lento em razão de um dos processadores ter sofrido um problema técnico”, afirmou.

Sobre o ataque que o sistema do TSE sofreu, o ministro afirmou que não teve relação com dados da eleição, reforçou que as urnas não são conectadas à rede e revelou que a origem do ataque foi identificada em Portugal.