Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BC pode ‘relutar’ em baixar juros

Equipe BR Político

O corte de 0,5 ponto porcentual nos juros nos Estados Unidos, feito pelo Federal Reserve (Fed) na terça, 3, surpreendeu o mercado de tal maneira que pululam incertezas sobre o que o Banco Central brasileiro decidirá na próxima reunião dos dias 17 e 18. Os investidores, por exemplo, já temem que os efeitos negativos do coronavírus sobre a economia sejam bem maiores do que os até aqui previstos. A doença seria uma espécie de gatilho para os cortes da Selic, hoje em 4,25% ao ano.

José Júlio Senna, chefe do Centro de Estudos Monetários do Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), diz acreditar que “o BC deva relutar um pouco em reduzir os juros. Na entrevista coletiva, o presidente do Fed não respondeu se havia uma ação coordenada em outros bancos centrais para corte de juros, mas também não quer dizer que não haja. Se outros BCs seguirem o movimento do Fed, o Banco Central do Brasil pode ter de fazer o mesmo, embora tenha mostrado muito cuidado na administração dos juros até agora”, afirmou ele em entrevista ao Estadão.

Tudo o que sabemos sobre:

Banco CentralFEDSelicJosé Júlio Senna