Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bento Albuquerque diz que não é possível restabelecer 100% da energia no AP até amanhã

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta segunda-feira, 9, que não é possível o reestabelecimento de 100% da energia elétrica do Amapá até amanhã. O prazo foi estabelecido pela Justiça do Estado no último sábado, 7, e o descumprimento prevê pagamento de multa de R$ 15 milhões pela Isolux – companhia responsável pela subestação atingida por um incêndio na última semana.

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“Eu ainda não vi essa determinação judicial, apenas tomei conhecimento pela imprensa. A assessoria jurídica do ministério deve estar trabalhando nisso. O que eu posso dizer é que não há possibilidade técnica de restabelecer 100% da energia até amanhã (terça-feira)”, afirmou o ministro em entrevista à rádio CBN.

De acordo com o ministro, o prazo para levar um novo transformador ao Estado, condição para restabelecimento pleno das condições energéticas, é de 10 dias. Segundo ele, como medida paliativa, geradores termoelétricos estão sendo levados ao Estado por aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) e por barcaças.

Bento Albuquerque também afirmou que uma investigação para apontar os responsáveis pelo problema já está em curso e deve ser concluída em, no máximo, 30 dias. O ministro classificou como “inadmissível” e “inaceitável” o apagão que ainda atinge 14 das 16 cidades do Estado desde a última terça. Albuquerque não descartou a possibilidade de cassar a concessão dada ao fornecedor de energia elétrica, tal qual sugeriu o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“Isso poderá ser uma consequência, mas temos que aguardar a apuração, a determinação das responsabilidade e coo nós vamos tomar as ações para que isso não ocorra mais no Amapá nem em qualquer outro Estado da federação.”

Treze das 16 cidades do estado enfrentam problemas desde que um raio atingiu uma subestação responsável pelo abastecimento de 90% da energia no Amapá, na terça-feira à noite.