Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

‘BolsoCriva’: apoio de Bolsonaro incluiu elogio a Paes; vídeo oficial sai hoje

Mario Vitor Rodrigues

Exclusivo para assinantes

Durante toda a tarde de quinta-feira, 29, o clima na campanha de Marcelo Crivella (Republicanos) oscilava entre a expectativa e o “agora vai”. Afinal, Jair Bolsonaro (sem partido) finalmente anunciaria seu apoio formal ao prefeito na sua luta pela reeleição à frente da prefeitura do Rio de Janeiro. O endosso do presidente da República era o que faltava para que a campanha finalmente decolasse, a ameaça de Martha Rocha (PDT) fosse afastada e o segundo turno contra o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) confirmado. Ou pelo menos era essa a esperança.

Foto: Divulgação

E então deu-se o inusitado.

Envergando uma camisa do Sampaio Correia, e ao lado da ministra da Agricultura, Teresa Cristina, Jair Bolsonaro desfiou uma séria de endossos a variadas campanhas. Basicamente, o esquema consistia em levantar o cartaz do candidato, preguiçosamente recitar elogios, repetir o número e pedir o voto.

Embolar o nome do prefeito do Rio de Janeiro em meio a tantos outros já seria suficientemente ruim. Crivella enfrenta rejeição duríssima dos cariocas. Precisava de um apoio mais incisivo. Principalmente vindo daquele que, em tese, deveria ser “o” cabo eleitoral.

Pois ficou ainda pior.

Quando chegou a vez do prefeito do Rio, após fazer um breve resumo da história de Crivella, Bolsonaro disse o seguinte:  “A gente está pedindo voto pela administração do Rio de Janeiro, tem outros dois nomes lá concorrendo. Um que é do partido x… se ela ganhar, o tal do Ciro Gomes vai ser chefe da Casa Civil. Terrível né? O outro vocês conhecem também. Não quero tecer críticas aqui, é bom administrador, mas eu estou com o Crivella”.

Trocando em miúdos, para além de colocar Martha Rocha está no páreo, Bolsonaro avaliou Eduardo Paes, o maior adversário de Crivella até o momento, líder disparado nas pesquisas, como “bom administrador”. Os nomes de Martha e Paes não foram citados, mas não precisou. O recado foi dado.

Contudo, o momento mais drástico ainda estava por vir.

Antes de encerrar o momento “BolsoCriva” da live e jogar fora o cartaz de Crivella com a reverência de um pedestre apressado, arrematou o presidente: “Que não tenha muita polêmica! Se não quiser votar nele, fique tranquilo, tá certo? Não vamos brigar entre nós.” Até Tereza Cristina achou graça.

Hoje cedo, Crivella esteve em Brasília para tomar café da manhã com o presidente e ambos gravaram vídeo oficial para a campanha. Ao lado do prefeito do Rio, não faz sentido esperar que Bolsonaro repita as gafes de ontem.

Assim como não cabe fingir que o estrago já não foi feito.