Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonarista que atacou enfermeiras trabalha para o Ministério dos Direitos Humanos

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Foi identificado como funcionário terceirizado do Ministério dos Direitos Humanos, o homem que no último dia 1º de maio agrediu verbalmente e cuspiu em enfermeiras que faziam uma manifestação pacífica em Brasília.

Manifestação mais expressiva do dia do trabalho foi de enfermeiros em Brasília

Manifestação mais expressiva do dia do trabalho foi de enfermeiros em Brasília Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Renan da Silva Sena é analista de projetos do setor socioeducativo, mas não aparece nem exerce suas atividades na pasta desde março.

Segundo o UOL, ele foi contratado pela empresa G4F Soluções Corporativas Ltda, que tem um contrato com o ministério no valor de R$ 20 milhões de prestação serviços operacionais e apoio administrativo.

Segundo a reportagem, o Ministério dos Direitos Humanos, que é comandado pela ministra Damares Alves, pediu à empresa terceirizada a demissão de Sena e que ela teria sido concretizada em 23 de abril. Porém, a documentação que prova a demissão não foi compartilhada com a reportagem, que verificou também que o e-mail funcional dele continuava ativo até segunda-feira, 4.