Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonarista vira alvo de ataques após voto ‘contra governo’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A deputada Major Fabiana (PSL-RJ), cotada a vice na chapa de reeleição do prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), passou a ser vista como “traidora” pelo eleitorado bolsonarista após votar, na quinta-feira, 20, pela derrubada do veto do presidente Jair Bolsonaro que barrava o reajuste salarial de servidores públicos durante a pandemia da covid-19. A bancada da bala, grupo de 306 parlamentares do qual a Major Fabiana faz parte, era favorável à derrubada do veto, mas acabou se dividindo.

A deputada Major Fabiana (PSL RJ) Foto: Dida Sampaio/Estadão

No Twitter, ainda na noite de ontem, a parlamentar justificou o voto contrário aos interesses do governo e ressaltou que segue fazendo parte da base de apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Os seguidores, no entanto, não aceitaram a justificativa e colocaram o nome da major entre os assuntos mais comentados desta sexta, 21.

“Hoje foi um voto difícil. Votei ‘não’ na derrubada do veto 17, por ser impossível desassociar da minha pessoa a instituição da Polícia Militar. Por 23 anos estive na linha de frente da corporação, sei como poucos o que representa ser um policial’, escreveu no Twitter.

O placar da votação na Câmara ficou em: 317 pela manutenção do veto presidencial, 166 favoráveis à derrubada do veto, 29 deputados não votaram e 2 se absolveram.