Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaristas banidos driblam decisão e voltam às redes

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Os bolsonaristas banidos das redes sociais por decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, encontraram diferentes formas de driblar a decisão judicial e voltar às plataformas para protestar contra a medida.

Na verdade, fora do Brasil eles nem chegaram a ser suspensos, pois a medida de Moraes é restrita ao Brasil. Alguém que acesse o Twitter ou o Facebook fora do País pode printar um post e repostá-lo em sua página, o que significa que eventuais “crimes de ódio”, expressão usada pelo ministro para justificar a decisão, podem continuar a ser praticados.

Além disso, vários dos atingidos pela suspensão criaram perfis alternativos ou passaram a usar contas de aliados e parentes. Ou migraram para o Instagram, rede que ainda não foi alcançada pela decisão.

Bernardo Kuster, blogueiro atingido pelo banimento, postou em seu perfil um tutorial de como alterar a conta para que fique configurado que ela está fora do Brasil e continuar postando. A extremista Sara Winter continuou publicando ofensas contra Alexandre de Moraes em sua conta.

Expedientes como esses mostram como é um terreno pantanoso e de difícil consenso teórico, ético e jurídico, além de complicadíssima engenharia, o controle do que é postado nas redes sociais. A decisão de Moraes causou controvérsia por, no entendimento mesmo de opositores de Jair Bolsonaro, cercear a liberdade de expressão sob o argumento de cometimento de crimes.