Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaristas tentam justificar voto contra o Fundeb

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Parte dos sete deputados bolsonaristas que votaram contra o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) passaram a quarta-feira, 22, tentando explicar sua posição. A principal justificativa é uma posição contrária à constitucionalização do fundo, segundo os deputados Filipe Barros (PSL-PR) e Paulo Martins (PSC-PR).

O deputado Filipe Barros

O deputado Filipe Barros Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

“Sou contra acrescentar na Constituição Federal quaisquer novos assuntos. Aliás, defendo que sejam desconstitucionalizados grande parte dos temas”, disse Barros. “Discordei de pontos do texto e principalmente da constitucionalização do que é proposto, pois dificulta ajustes futuros”, afirmou Martins.

Outros parlamentares, como a deputada Chris Tonietto (PSL-RJ), deram outras justificativas. “Financiamento da educação nada pode ter a ver com conteúdo e o único meio saudável de financiamento tem de ser com recursos descentralizados”, disse. Ela fez parte da comissão da Câmara que debateu e aprovou o texto da deputada Professora Dorinha (DEM-TO).

Foram apenas sete deputados bolsonaristas que votaram contra o Fundeb: Bia Kicis (PSL-DF), Chris Tonietto (PSL-RJ), Filipe Barros (PSL-PR), Junio Amaral (PSL-MG), Luiz P. O. Bragança (PSL-SP), Márcio Labre (PSL-RJ) e Paulo Martins (PSC-PR).