Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro admite ‘pressão enorme’ contra Kassio Nunes

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Em conversa com apoiadores na manhã desta sexta-feira, 2, o presidente Jair Bolsonaro reconheceu que há uma “pressão enorme” de seus seguidores contra a indicação do desembargador Kassio Nunes para a vaga de Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF). A escolha do nome do piauense foi formalizado hoje no Diário Oficial da União. Nos últimos dias, a hashtag #ConservadoNoSupremoJá ficou entre os assuntos mais comentados nas redes sociais.

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro Foto: Gabriela Biló/Estadão

“Há uma pressão enorme contra Kassio. Qualquer indicado iria apanhar”, comentou a apoiadores ao sair do Palácio da Alvorada. “Com todo o respeito, o presidente sou eu. Não tenho cabeça dura, volto atrás em decisões minhas”, disse. A escolha do presidente surpreendeu aliados por não ser um nome “terrivelmente evangélico”, como Bolsonaro tinha anunciado. Segundo ele, uma indicação do tipo será feita no ano que vem para a vaga de Marco Aurélio Mello.

Sem citar nomes, Bolsonaro disse estar “chateado” com a perda de apoio de aliados que não gostaram da indicação. Ele lamentou que uma “autoridade no Rio de Janeiro” tenha feito críticas sobre sua escolha. “Estou chateado sim com o pessoal que me apoia virando as costas.”

O chefe do Executivo disse ainda que vai checar a informação de que Nunes teria votado pela suspensão de uma decisão que determinava a deportação do ativista italiano Cesare Battisti. Em defesa do desembargador, Bolsonaro chamou de “covarde” quem responsabiliza o Nunes por Battisti ter ficado no Brasil. “É uma covardia o que estão fazendo com ele (Kassio).”

 

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroKassio MarquesapoiadoresSTF