Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Bolsonaro agora fala que tem ‘pressa’, mas que não pode ‘fazer pressão’ por vacina

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Um dia depois de dar a polêmica declaração de que “não dá bola” para a pressão feita por uma vacina, Jair Bolsonaro foi às redes sociais dizer que tem “pressa” para obter um imunizante, mas que não pode “exercer pressão”. Em sua postagem, o presidente volta a colocar em xeque a segurança das vacinas e diz que, caso apresse as coisas, pode ser “acusado de interferência e irresponsabilidade”.

“Temos pressa em obter uma vacina, segura, eficaz e com qualidade, fabricada por Laboratórios devidamente certificados. Mas a questão da responsabilidade por reações adversas de suas vacinas é um tema de grande impacto, e que precisa ser muito bem esclarecido”, afirmou.

“Tão logo um laboratório apresente seu pedido de uso emergencial, ou registro junto à ANVISA, e esta proceda a sua análise completa e o acolha, a vacina será ofertada a todos e de forma GRATUITA e NÃO OBRIGATÓRIA”, disse.

O STF, entretanto, já decidiu que governadores e municípios podem decidir pela obrigatoriedade da vacina, impondo restrições para quem se recusar a ser imunizado. O governo de Jair Bolsonaro é criticado pela sua imobilidade ante os diversos laboratórios que possuem imunizantes com eficácia comprovada, como a Pfizer. Diversos países do mundo, como Estados Unidos, Reino Unido e a União Europeia, já começaram sua vacinação.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonarovacinacoronavírus