Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro: ‘Alguns vão morrer? Lamento, essa é a vida’

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Em sua “cruzada” contra a quarentena, medida considerada fundamental por autoridades médicas do mundo todo contra uma explosão de mortes por coronavírus, Jair Bolsonaro admitiu que vai ter mortes. Mas parece considerar isso algo “natural” e não evitável. “Algumas mortes terão. Acontece. Paciência”, disse o presidente em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, da TV Bandeirantes.

Em outro momento, repetiu a formulação: “Alguns vão morrer? Vão morrer, lamento, essa é a vida”. Repetiu que para 90% da população a covid-19 não passa de uma “gripezinha”. E parabenizou os governadores que suspenderam a quarentena.

Além disso, Bolsonaro admitiu que irá interferir nas decisões do Ministério da Saúde se considerar adequado. “Aqui não é cada ministro fazendo o que dá na cabeça, não”, afirmou. “Vou continuar interferindo”, completou.

Questionado pelo apresentador se poderia dizer de forma peremptória que não daria um golpe contra as instituições, o presidente deu uma resposta que fez Datena arregalar os olhos: “Quem quer dar o golpe jamais vai dizer que quer dar, Datena. Tá certo?”, disse Bolsonaro. Em seguida passou a discorrer sobre seus entreveros com a imprensa e a dizer que nunca fez nada para cercear a liberdade de imprensa, diferentemente do PT. Mas nada falou sobre as “caneladas” com o Legislativo e o Judiciário.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonarocoronavírusHenrique Mndetta