Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro apaga vídeo de desabastecimento em BH

Vera Magalhães

O presidente Jair Bolsonaro apagou de suas contas no Twitter e do Facebook, menos de duas horas depois, vídeo em que um suposto feirante não identificado do Ceasa de Belo Horizonte mostrava o mercado vazio e apontava início de crise de desabastecimento na cidade por conta do confinamento ditado pela pandemia de coronavírus.

No vídeo, o feirante chamava os governadores de “corja de canalhas” por determinarem medidas de restrição de circulação e comércio, dizia que Bolsonaro agiu com “responsabilidade” ao tentar determinar uma volta ordenada às atividades de trabalho e previu que a continuidade do confinamento levaria a desabastecimento, fome e conturbação social.

O presidente apagou de suas contas menos de duas horas depois vídeo em que um suposto feirante criticava confinamento ditado pela pandemia de coronavírus

No vídeo, um suposto feirante criticava confinamento Foto: Dida Sampaio/Estadão

Isso foi feito menos de doze horas depois do pronunciamento do presidente à Nação, em que Bolsonaro amainou o tom, conclamou o entendimento com governadores e prefeitos e não repetiu o estímulo a que as pessoas voltassem a trabalhar. O pronunciamento foi recebido com panelaços em todo o Brasil.

O vídeo do feirante foi desmentido por reportagem da CBN de Belo Horizonte, que foi ao Ceasa e entrevistou administradores e feirantes mostrando que o movimento é normal e não existe risco de desabastecimento.

A postagem do presidente foi usada para impulsionar a hashtag #BolsonaroDay, alusiva ao Dia da Mentira, que é o assunto mais comentado do Twitter no Brasil nesta quarta-feira.