Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro associa passeio à agenda recomendada pelo G-20

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro associou seu passeio desta na tarde deste domingo, 29, quando teve contato físico com desconhecimentos em vários estabelecimentos comerciais do Distrito Federal, a compromissos estabelecidos na última reunião do G-20, da qual participou por videoconferência ao lado do chanceler Ernesto Araújo. Um deles diz que é preciso “minimizar interrupções no comércio e nas cadeias de suprimentos globais”, não que para isso coloque a própria saúde em risco e, consequentemente, a dos demais para descobrir com os próprios olhos, em plena pandemia, que o mercado informal está sendo um dos setores mais afetados nesta crise sanitária. O IBGE mesmo informa que a informalidade atinge hoje 41% dos trabalhadores ocupados. No entanto, a experiência ao lado desses trabalhadores informais deveria ser, segundo sua recomendação, vivida por “todos os políticos do Brasil”.

Veja o que diz parte da declaração final do G-20:

O G20 está comprometido a fazer o que for necessário para superar a pandemia, juntamente com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Grupo Banco Mundial, a Organização das Nações Unidas (ONU) e outras organizações internacionais, trabalhando dentro de seus mandatos existentes. Estamos determinados a não poupar esforços, individuais ou coletivos, para:

  • Proteger vidas;
  • Salvaguardar os empregos e a renda das pessoas;
  • Restaurar a confiança, preservar a estabilidade financeira, reativar o crescimento e recuperar-se mais forte;
  • Minimizar interrupções no comércio e nas cadeias de suprimentos globais;
  • Prestar ajuda a todos os países que precisem de assistência;
  • Coordenar medidas de saúde pública e financeiras.

 

Tudo o que sabemos sobre:

G-20Jair Bolsonarocoronavírus