Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro avalia que Glenn ‘cometeu crime’

Equipe BR Político

Nesta segunda-feira, 29, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o editor e dono do site The Intercept Brasil, Glenn Greenwald. Segundo o presidente, o jornalista “cometeu um crime” no caso da divulgação de reportagens que se basearam em mensagens atribuídas ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e outras autoridades. “No meu entender, ele (Glenn) cometeu um crime. Em qualquer outro país, ele estaria já em uma outra situação. Espere que a Polícia Federal chegue realmente, ligue os pontos todos”, disse Bolsonaro.

Em depoimento, Walter Delgatti Neto afirmou que repassou conversas da Lava Jato ao editor do The Intercept de forma não remunerada. O presidente Jair Bolsonaro, no entanto, colocou dúvidas nessa versão. “No meu entender, isso teve transações pecuniárias. A intenção aí é sempre atingir a Lava Jato, atingir o Sergio Moro, a minha pessoa, tentar desqualificar e desgastar. Invasão de telefone é crime, ponto final”, afirmou. “Não pode se escudar ‘sou jornalista’. Jornalista tem que fazer seu trabalho. Preservar o sigilo da fonte, tudo bem. Agora, uma origem criminosa o cara vai preservar, o crime invadindo a República, desgastando o nome do Brasil lá fora”, disse Bolsonaro.

Notícias relacionadas