Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro contra ONGs, Alemanha e Macron

Equipe BR Político

Como demonstrado durante o discurso na ONU na última terça-feira, 24, o presidente Jair Bolsonaro não pretende baixar o tom contra seus rivais internacionais. Em entrevista ao programa Frente a Frente, da TV Rede Vida, gravada logo após ele falar na abertura da Assembleia-Geral, Bolsonaro voltou a criticar o presidente da França, Emmanuel Macron, disse “desafiar” a Alemanha em relação ao Fundo Amazônia e reafirmou que o dinheiro para reflorestamento teria sido desviado por ONGs.

“Eu até desafio quem tem doado dinheiro para nós ao longo de tanto tempo que me mostrem uma árvore só plantada por ONGs que pegam (sic) metade desse recurso”, disse Bolsonaro, após ser perguntado se tinha a intenção de retomar relações com a chanceler alemã, Angela Merkel, e com Macron. Mais uma vez, ele não citou nenhum indício que corrobore a acusação. Bolsonaro ainda avaliou o discurso na ONU como “contundente, mas não agressivo”.

Ainda, segundo o presidente, “a floresta amazônica não pega fogo. Ela é úmida. E com um grau de umidade muito grande. O que pega fogo é a periferia”, disse, ao defender que a média de focos de incêndio na Amazônia está abaixo da média dos últimos anos. De acordo com nota técnica elaborada em agosto pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), o aumento no número de queimadas na região amazônica tem relação com a ação humana e a prática de “limpar” áreas recém-desmatadas e outros tipos de terreno. O estudo indica que o desmatamento é o provável fator responsável por esse cenário, e não a estiagem.

Tudo o que sabemos sobre:

AmazôniaJair Bolsonarogoverno