Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro critica nomeações de Dodge no MPF

Vera Magalhães

O presidente Jair Bolsonaro criticou neste sábado a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, por supostamente estar fazendo nomeações na estrutura do Ministério Público Federal. “Não posso ter um PGR, que não defini ainda e suponho que não seja reconduzida, uma pessoa vai chegar lá e vai ter todo o ministério montado com mandato.”

Bolsonaro demonstra desconhecer um fato básico: o Ministério Público não é um ministério de seu governo. Embora caiba a ele nomear o procurador-geral da República –tarefa na qual, aliás, está atrasado, e cujos critérios de escolha não explicita–, não lhe cabe dar palpites sobre a condução administrativa do órgão, que tem independência em relação a todos os Poderes.

“É a mesma coisa de acabar a Legislatura, por exemplo, e ao final há uma eleição da mesa onde se escolhe todos os integrantes da seguinte. Parece que está acontecendo isso. Não sei se é legal. Não posso por um PGR lá que não possa mexer em nada.”  A frase “não posso por um PGR lá” denota que Bolsonaro acha que o indicado será seu subordinado.

As nomeações foram noticiadas pelo Painel da Folha. Neste sábado, a assessoria da PGR informou à coluna que os atos são rotineiros e que procuradores indicados por ela serão subordinados a procuradores regionais que só serão indicados por seu sucessor.