Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro criticado por não vetar brecha a caixa 2

Vera Magalhães

O presidente Jair Bolsonaro recebeu críticas por parte de políticos e de entidades de combate à corrupção por não incluir nos vetos à minirreforma eleitoral aprovada pela Câmara o item que permite o pagamento de advogados e contadores com verbas do fundo partidário. Para analistas e políticos que são contrários à nova norma, o item é um dos que mais abrem brecha para prática do crime de caixa 2.

“Infelizmente o presidente não vetou um ponto grave na lei dos partidos, que é considerado hoje caixa dois: o pagamento de advogados e contadores por terceiros, sem passar pelo caixa oficial das campanhas. Uma derrota para a transparência que a população quer na política”, escreveu no Twitter o presidente do Partido Novo, João Amoêdo.

Para especialistas em transparência de gastos públicos, a mudança abre brecha, inclusive, para a lavagem de dinheiro. No Congresso, cresce a movimentação de partidos do chamado Centrão para a derrubada em globo de todos os vetos de Bolsonaro, inclusive o que impede o reajuste do fundo eleitoral.