Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro decidiu levar reforma pessoalmente num gesto para Maia

Marcelo de Moraes

O presidente Jair Bolsonaro decidiu levar pessoalmente a proposta de reforma da Previdência dos militares e o projeto de reestruturação da categoria como um gesto na direção do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O presidente tomou conhecimento do aborrecimento de Maia com o governo, achando que não havia reconhecimento pelo seu trabalho para aprovar a reforma da Previdência. Pior: ele estava irritado com ataques recebidos nas redes sociais de sites bolsonaristas, que o chamavam de achacador, como contamos aqui no BR18 na segunda-feira.

No seu blog no G1, a jornalista Andréia Sadi revelou que a irritação de Maia chegou ao ponto de ele dizer a interlocutores do governo que não receberia pessoalmente projeto nenhum de reforma dos militares. Segundo Andréia, Maia teria respondido: “manda entregar na burocracia da Câmara”. Informado que o clima estava pesadíssimo, Bolsonaro decidiu ir pessoalmente para mostrar deferência ao presidente da Câmara e tentar superar o mal estar. /M.M.

Tudo o que sabemos sobre:

Reforma dos militaresRodrigo MaiaBolsonaro