Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro diante de Brumadinho

Equipe BR Político

Em sua coluna nesta quinta-feira no Estadão, William Waack trata a tragédia de Brumadinho como um misto de responsabilidades privadas e públicas que vai alterar de forma profunda a percepção da sociedade quanto à relação entre desenvolvimento econômico e fiscalização ambiental. “Se o governo de Bolsonaro se elegeu apegado em parte à narrativa política de que licenciamento ambiental não pode se transformar em barreira burocrática à atividade empresarial, a tragédia de Brumadinho altera fortemente a percepção que o público tem da questão e, portanto, vai exigir do presidente e seus ministros habilidade política em vez de frases de efeito. A palavra mágica ‘desregulação’ se arrisca a virar palavra maldita”, escreve.