Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro diz que ‘a gente orienta e dá opiniões de vez em quando’ a policiais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Ao lado do governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, o presidente Jair Bolsonaro participou de uma cerimônia de entrega de equipamentos à Superintendência da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na capital fluminense, nesta quinta, 24. Em seu discurso afirmou aos policiais que “a gente orienta, de vez em quando, dá opiniões, para que o serviço seja melhor cumprido”; disse que a segurança pública é um direito de todos, mas um “dever” de todos nós buscarmos a própria segurança; e anunciou que as conversas com a equipe econômica “estão adiantadas” para a contratação de 2 mil novos policiais rodoviários federais entre o final do ano e início do próximo. Bolsonaro é investigado em inquérito no STF sobre eventual interferência política na Polícia Federal.

Os demais conteúdos da fala foram de defesa da cloroquina, de culpar governadores e prefeitos pela crise sanitária por “decisão do STF”, reforçando que ele “não fugiu” de suas responsabilidades “desde o primeiro momento”. “No Brasil, o tratamento dessa questão coube aos governadores e prefeitos por decisão do Supremo Tribunal Federal, mas desde o primeiro momento eu não fugi das minhas responsabilidades. Todos nós sabemos que pior que uma decisão mal tomada é uma indecisão”, teorizou.

O chefe do Planalto também disse que a pandemia do novo coronavírus deveria mudar de nome, sem citar referências. “Lamentavelmente tivemos essa pandemia, que acho que deveria receber outro nome no futuro, que influiu negativamente na política econômica do mundo todo”. Seu aliado Donald Trump já chamou o SARS-Cov-2, mais de uma vez, de vírus chinês.

Tudo o que sabemos sobre:

pandemiaJair BolsonaroPRFRio de Janeiro