Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro diz que não escolhe ministros por ‘apadrinhamento’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro disse na manhã desta quinta-feira, 8, que contribui para o combate à corrupção ao não indicar ministros “por apadrinhamento, mas por competência”. O comentário vem no mesmo dia em que o governo oficializou a indicação do atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira, para exercer o cargo de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU).

O presidente da República, Jair Bolsonaro Foto: Adriano Machado/REUTERS

A fala foi feita em solenidade de encerramento dos cursos de formação de policiais federais, em Brasília. Sem citar o nome do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, Bolsonaro afirmou que o atual ocupante do cargo, André Mendonça, é “muito, mas muito melhor que outro que nos deixou há pouco tempo”.

Na quarta, o ex-juiz usou o Twitter para criticar as declarações de Bolsonaro de que teria acabado com a Lava Jato em função de não haver corrupção em seu governo.

No evento desta manhã, Bolsonaro disse que sua eleição em 2018 é fruto, entre outros fatores, do trabalho da PF. Ele destacou que, além da atuação do órgão durante o atentado que sofreu em Juiz de Fora (MG), “o outro efeito do trabalho de vocês (na minha vida) foi – e ainda é hoje em dia – no combate à corrupção. Isso fez com que muita gente olhasse para um candidato diferente e eu acabei sendo eleito”.