Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro diz que OMS incentiva a sexualidade infantil, mas apaga post

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro usou o Facebook na noite de quarta-feira, 29, para acusar a Organização Mundial da Saúde (OMS) de incentivar a masturbação e a homossexualidade entre crianças. Minutos depois, no entanto, o presidente apagou a postagem na rede social. O tempo em que a publicação ficou no ar foi o suficiente para que fosse feito print, como mostra o UOL. Desde o início da pandemia, Bolsonaro tem divergido da organização nas medidas de combate à covid-19.

Publicação do presidente Jair Bolsonaro

Publicação do presidente Jair Bolsonaro Foto: Reprodução/Facebook

“Essa é a Organização Mundial da Saúde (OMS) que muitos dizem que eu devo seguir no caso do coronavírus”, iniciou.  E seguiu: “Deveríamos então seguir também diretrizes para políticas educacionais?”. Em momento algum o texto de Bolsonaro cita fontes para as acusações.

Na sequência, o presidente fala sobre supostas recomendações da OMS para crianças de 0 a 4 anos: “Satisfação e prazer ao tocar o próprio corpo (masturbação); expressar suas necessidades e desejos por exemplo, no contexto de ‘brincar de médico’; as crianças têm sentimento sexuais mesmo na primeira infância”, descreve o texto.

Para crianças entre 4 a 6 anos, segundo Bolsonaro, a OMS recomenda: “Uma identidade de gênero positiva; gozo e prazer ao tocar o próprio corpo, masturbação na primeira infância; relações entre pessoas do mesmo sexo”. Por fim, Bolsonaro diz que para jovens entre 9 e 12 anos é orientada a “primeira experiência sexual”.