Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro diz que se dependesse do governo ‘estava tudo aberto’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Em videoconferência com o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e outros empresários, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 14, que se dependesse do governo federal, “estava tudo aberto”. O chefe do Executivo defendeu, mais uma vez, a adoção de um isolamento vertical, restrito apenas para pessoas consideradas de grupos de risco em relação ao novo coronavírus, como idosos e portadores de comorbidades.

Paulo Skaf e Jair Bolsonaro em reunião na Fiesp

Paulo Skaf e Jair Bolsonaro Foto: Miguel Schincariol/AFP

“Pelo governo federal, no que depender de nós, estava tudo aberto, no isolamento vertical, e ponto final”, disse. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também acompanha o encontro. Os empresários pediram ao Ministério da Economia planos específicos para auxiliar os setores mais afetados pela pandemia.

Bolsonaro também criticou governadores e prefeitos pelas decisões de fechamento e paralisação de atividades econômicas. Mais cedo, em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente declarou que o Brasil vai “quebrar” e “nós vamos morrer de fome”, caso os Estados não abandonem o isolamento social.

“Os governadores, cada um assumiu a sua responsabilidade e houve uma concorrência entre muitos para ver quem fechava mais, quem defendia mais a vida do seu eleitor, do seu cidadão do seu Estado em relação aos outros”, disse.