Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro é alvo de mais uma representação na PGR por apoio à cloroquina

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro é alvo de uma representação à Procuradoria Geral da República (PGR) para apurar a conduta do presidente por incentivar e determinar o aumento de produção da cloroquina, substância cuja eficácia é rejeitada por cientistas. O documento apresentado pelo deputado Rogério Correia (PT-MG) pede que se investigue se Bolsonaro cometeu improbidade administrativa. 

O presidente Jair Bolsonaro no G-20, onde defendeu o uso da cloroquina no combate ao coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro no G-20, onde defendeu o uso da cloroquina no combate ao coronavírus Foto: Marcos Corrêa/PR

“No decorrer da crise de saúde pública, o senhor presidente da República se esforçou em promover interesses próprios, por meio das irresponsáveis e inverídicas afirmações acerca da eficiência do tratamento de covid-19 com o medicamento hidroxicloroquina”, afirma Correia.

O pedido não é o único apresentado nos últimos dias para investigar condutas potencialmente danosas de Bolsonaro ao enfrentamento da pandemia. Na sexta-feira, 10, os deputados federais Ivan Valente e Luiza Erundina e o ex-candidato a presidente Guilherme Boulos, todos do PSOL, enviaram à PGR uma notícia-crime pela abertura de uma investigação para apurar se Bolsonaro cometeu crime de infração de medida sanitária preventiva por estimular o descumprimento das medidas de isolamento social e dos protocolos de segurança contra a disseminação da doença.