Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro e Doria trocam ofensas em meio à crise do coronavírus

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

O que antes estava restrito a críticas pela atuação na crise do coronavírus, virou troca de ofensas na noite do último sábado. O presidente Jair Bolsonaro e seu desafeto, o governador de São Paulo, João Doria, se chamaram mutuamente de “lunáticos” pelas posições diante da pandemia. No fim do dia, em entrevista para a CCN, Bolsonaro respondeu às críticas feitas por Doria na manhã de sábado. O tucano abriu o dia dando uma coletiva para anunciar novas medidas restritivas no Estado, e aproveitou para tecer de críticas ao presidente da República, em especial por ter chamado o coronavírus de “gripezinha”.

“Doria é um lunático. Ele nega que usou o meu nome para se eleger governador e está se aproveitando para crescer politicamente”, afirmou, dizendo ainda que “excesso de remédio vira veneno”, em referência a quarentena adotada pelo paulista. O tucano respondeu no Twitter: “Chama coronavírus de gripezinha e eu que sou lunático? Lidere seu país, presidente”.

Tudo o que sabemos sobre:

João DoriaJair Bolsonarocoronavírus