Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro e Merkel ao telefone

Equipe BR Político

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que aguarda nesta sexta-feira, 30, uma ligação da chanceler alemã, Angela Merkel, mas disse que não sabe qual será o assunto. Segundo ele, foi Merkel quem pediu a conversa. “Quando a minha esposa liga, é ela que fala os assunto, não eu”, comparou. O presidente relembrou o desentendimento que teve com Merkel antes do G-20, após críticas da chanceler sobre a política ambiental brasileira. “Ela começou com um tom, depois foi para a normalidade. Eu estou pronto para conversar com qualquer um”, disse.

Ele não perdeu a oportunidade de voltar a criticar o presidente da França, Emmanuel Macron. “Exceto com o nosso querido Macron, a não ser que ele se retrate a respeito da soberania da Amazônia, daí eu converso com ele”, completou Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada. O presidente ainda afirmou ser um “diplomata” e “uma pessoa afeita ao diálogo”.

Questionado se poderia aceitar recursos da Alemanha,  Bolsonaro disse que pode conversar com qualquer país que pretenda doar individualmente ao Brasil, e mencionou o presidente da França mais uma vez. “Qualquer recurso de um país ou outro a gente conversa. Agora, o Macron quer doar em nome do G-7. Isso não é verdade.”  Ele também disse que pediu ajuda ao presidente dos EUA, Donald Trump. De acordo com ele, o chanceler Ernesto Araújo e o deputado Eduardo Bolsonaro vão conversar com o presidente dos EUA e possivelmente trazer novidades.

Assine o BR Político para ter acesso a produtos e informações exclusivos. Clique neste link para se tornar um assinante.