Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro e o desgaste do Fundo Eleitoral

Marcelo de Moraes

Aprovado pelo Congresso na semana passada, o Fundo Eleitoral teve suas normas de funcionamento alteradas. Com isso, foram reduzidas as regras de transparência na prestação de contas das campanhas e criadas brechas para a possibilidade de caixa 2.

Caberá, agora, a Jair Bolsonaro decidir se veta ou não o projeto. E, independentemente da decisão do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), seu filho, já se preocupa com o desgaste político que haverá conforme o desfecho do problema.

Para Eduardo, porém, a responsabilidade pela situação é dos parlamentares e que isso deve ser deixado claro. Sem ser específico, Eduardo dá a entender que isso poderia render frutos políticos na eleição de 2022.

“Antes de vetar ou não vetar e trazer o desgaste para Bolsonaro – mais uma vez – é preciso deixar de ser manipulado e entender que os parlamentares foram os responsáveis pela minirreforma eleitoral.

Se mostrarmos ao povo quem são eles, então em 2022 damos o segundo passo nas mudanças que queremos”, escreveu Eduardo na sua conta do Twitter.