por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro e o termômetro das redes sociais

Vera Magalhães

O leve recuo da posição de Jair Bolsonaro em relação à greve dos caminhoneiros se assemelha a um “hedge”, movimento que se faz no mercado de capitais para não ficar muito “comprado” ou “vendido” em uma só posição. O pré-candidato do PSL foi quem primeiro e melhor surfou na onda das redes sociais em apoio ao movimento.

Sua pisada no freio coincide com o momento em que vários levantamentos já mostram a perda de adesão a uma greve que entra em seu nono dia, não tem mais lideranças claras nem pautas identificáveis e segue paralisando o País mesmo depois de o governo ter atendido suas exigências. Se a coisa degringolar, Bolsonaro agora poderá dizer que “alertou” os caminhoneiros sobre a hora de parar. / Vera Magalhães