Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro em reunião: ‘Quero todo mundo armado’

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Em um dos trechos da reunião ministerial do dia 22 de abril, Jair Bolsonaro insistiu que queria que o então ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, trabalhassem o mais rápido possível para liberar a posse e o porte de armas para a população. O motivo alegado pelo presidente da República seria reagir a prefeitos que estivessem restringindo a mobilidade por causa do coronavírus.

O presidente Jair Bolsonaro durante a reunião ministerial de 22 de abril

O presidente Jair Bolsonaro durante a reunião ministerial de 22 de abril Foto: Marcos Corrêa/PR

“Um bosta de um prefeito faz um bosta de um decreto, algema, e deixa todo mundo dentro de casa. Se tivesse armado, ia pra rua. E se eu fosse ditador, né? Eu queria desarmar a população, como todos fizeram no passado quando queriam, antes de impor a sua respectiva ditadura. Aí, que é a demonstração nossa, eu peço ao Fernando e ao Moro que, por favor, assine essa portaria hoje que eu quero dar um puta de um recado pra esses bosta! Por que que eu tô armando o povo? Porque eu não quero uma ditadura! E não da pra segurar mais! Não é? Não dá pra segurar mais.”, disse Bolsonaro. ” É escancarar a questão do armamento aqui. Eu quero todo mundo armado! Que povo armado jamais será escravizado.”