Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro fala e depois desmente

Equipe BR Político

A relação tortuosa que Jair Bolsonaro tem com os fatos e as versões é conhecida e histórica, mas nesta semana ele se superou: deu uma declaração, para depois desmenti-la menos de 24 horas depois. É sobre essa característica que Bruno Boghossian escreve em sua coluna na Folha.

Ele disse ter feito um exame para averiguar um possível câncer de pele e, depois, acusou a imprensa de mentir. “Poderia até parecer que, finalmente, Bolsonaro confessava ser um fabricante de notícias falsas. Mas era só o exemplo mais nítido de seu método de manipulação. O presidente da República adultera fatos e frauda todo tipo de informação sem corar”, escreve o colunista.

O colunista lembra que o método de falsear a realidade do presidente já rendeu desconfiança em pesquisas como a do Datafolha, que mostra que 43% não acreditam no que ele fala. “Bolsonaro costuma citar o versículo bíblico João 8:32: ‘E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará’. O trecho fala da libertação daqueles que aceitam a palavra divina, mas o presidente distorce até as Escrituras para explorá-las em sua guerra contra os fatos. Como se vê, o governo não busca apoio, mas veneração”.