Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro manda mensagem em tom de pacificação para Toffoli

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro está buscando a pacificação com o Supremo Tribunal Federal. Logo depois da abertura de inquérito para investigar a responsabilidade, inclusive de parlamentares bolsonaristas, pela organização e realização de atos pedindo intervenção militar e fechamento do Congresso no último domingo, Bolsonaro encaminhou ao presidente da Corte, José Antonio Dias Toffoli, uma mensagem contra a pauta de fechamento do Congresso.

“Aqueles que pedem intervenção militar (art. 142) ANTES devem decidir qual general ocupará a cadeira do Capitão Jair Bolsonaro”, diz o texto enviado pelo presidente ao ministro, que não é assinado.

“Aqueles que pedem AI-5 ANTES devem mostrar onde está na Constituição tal dispositivo”, prossegue a mensagem.

O presidente Jair Bolsonaro e o presidente do STF, Dias Toffoli

O presidente Jair Bolsonaro e o presidente do STF, Dias Toffoli Foto: Adriano Machado/Reuters

No texto há um estímulo a que as pessoas vão às ruas, mas sem atacar “a Presidência, Supremo ou Congresso”, e sim aquilo que pretendem que seja mudado.

“VÁ E VENÇA”, termina o texto repassado por Bolsonaro. O BR Político não tem informação de que ele tenha encaminhado a mesma mensagem a outros representantes do Judiciário ou do Legislativo. Toffoli não comentou a mensagem recebida.

O tom conciliador já foi usado pelo presidente em outras ocasiões posteriores a demonstrações suas de arroubos autoritários. O movimento de “morde e assopra”, como enxergam alguns parlamentares, é visto como uma estratégia para manter as tropas nas redes sociais mobilizadas.

Por ora, o clamor pela moderação que aparece na mensagem de Bolsonaro a Toffoli não se reflete no comportamento dos líderes de claques bolsonaristas nas redes. Vários deles passaram a defender de forma ainda mais acalorada reações contra o Supremo e o Congresso. Mensagens contra o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), há dias ocupam os primeiros lugares dos assuntos mais comentados do Twitter.

Leia a seguir a íntegra da mensagem enviada por Bolsonaro a Dias Toffoli:

“Aqueles que pedem Intervenção Militar (Art. 142) ANTES,  devem decidir qual General ocupará a cadeira do Capitão Jair Bolsonaro.

Aqueles que pedem AI-5 ANTES, devem mostrar onde está na Constituição tal dispositivo.

Toda manifestação é justa e garantida em nossa CF, portanto vão para as ruas, mas tenham uma pauta real, objetiva, com foco na missão.

Não ataquem Presidência, Supremo ou Congresso, mas aquilo que você julga que deve ser mudado.

Exijam ações, cobrem votações, critiquem sentenças, vocês atingirão seus objetivos.

O próprio Presidente tem dito que deve lealdade ao povo, assim como as Forças Armadas.

Unam esforços, o povo quer um Brasil diferente do que temos ainda, mas para isso deve escolher suas pautas,  e também suas armas democráticas.

Dia 19, dia do Exército, o Presidente bem disse: “Agora é o povo no poder. Mais do que o direito, vocês têm a obrigação de lutar pelo país de vocês.”

E concluiu: ‘Contem com o seu Presidente para fazer tudo aquilo que for necessário para que nós possamos manter a nossa democracia e garantir aquilo que há de mais sagrado para nós, que é a nossa liberdade.

VÁ E VENÇA’.”.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroDias ToffolipacificaçãoSTF