Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro minimiza coronavírus no dia em que o Brasil atinge 150 mil mortos

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro minimizou mais uma vez o coronavírus, fez estimativas de mortes baseadas em “chutes”, defendeu a cloroquina e criticou medidas de isolamento neste sábado, 10, dia em que o Brasil ultrapassou as 150 mil mortes pela covid-19. Durante live com uma apoiadora (que Bolsonaro a instou a tirar a máscara), o presidente afirmou que não se deve ter medo de pegar o vírus. “Eu estou com 65, não senti nada, nem uma gripezinha, zero”, disse. Quando foi diagnosticado com a doença em julho, no entanto, o próprio presidente e a comunicação do governo informaram que ele enfrentou sintomas.

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro Foto: Gabriela Biló/Estadão

Ao invés de lamentar as vidas perdidas para a covid-19, o presidente decidiu, em um chute, que o número de mortes no Brasil neste ano até agora foi “parecido” com o do ano passado.

Em mais um chute, disse que mortes poderiam ter sido evitadas pela cloroquina. “Esse estudo vai chegar um dia, vou chutar aqui, que por volta de 30% das mortes poderiam ser evitadas pela hidroxicloroquina usando na fase inicial”, afirmou depois de citar um suposto estudo da Sociedade Europeia de Cardiologia afirmando que o medicamento não causaria arritmia.

– Bate papo com a Alessandra (usuária do Facebook).

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Sábado, 10 de outubro de 2020

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonaromortescoronavírus