Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro na base da humildade após atritos

Equipe BR Político

Um dia após pedir à militância digital “uma chance” em razão da discordância dos fãs com a indicação do subprocurador Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República, o presidente Jair Bolsonaro usou da humildade para se dirigir àqueles que o esperavam na entrada do Palácio da Alvorada, em Brasília. “Reconheço as minhas limitações, a minha fragilidade, a minha incompetência em alguns momentos. Mas vou continuar me empenhando para fazer o melhor todo dia”, disse ele. Questionado se Aras vai combater a corrupção, o presidente respondeu que um procurador-geral da República “não pode focar só na corrupção”. “É questão ambiental, direitos humanos, minorias. Tem a ver indiretamente com a economia. Essa é a intenção”, completou.

O presidente justificou que a quinta, 5, “foi um dia difícil”. “Fizemos os vetos da Lei de Abuso. (No) Ministério Público, alguns extrapolam ainda. Não podem agir dessa maneira. Ontem escolhi novo PGR, uma escolha difícil. É uma pessoa que tem o grau de importância muito parecido com do presidente”, comparou como forma de acalmar os descontentes.