Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro na ONU: ‘Brasil foi vítima de derramamento de óleo venezuelano’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em seu discurso de abertura da Assembleia-Geral da ONU, nesta manhã de terça, 22, que o Brasil “foi vítima de derramamento de óleo venezuelano” em referência à mancha de óleo que atingiu o Brasil um ano atrás. A investigação da Marinha, concluída no final de agosto, não anunciou os responsáveis pelo crime ambiental, mas a Força afirmou em nota no início deste mês que entregou à Polícia Federal o relatório conclusivo com o “provável causador” e que os “trabalhos continuam”.

O presidente Jair Bolsonaro em discurso na abertura da Assembleia-Geral da ONU Foto: Reprodução

Após anunciar o autor da tragédia ambiental, o chefe do Planalto lembrou haver no Brasil respeito à “liberdade de navegação”, mas relativizou, pedindo que a entidade tenha “agilidade” na apuração de crimes similares.

Nesta semana, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, visitou Roraima para aumentar a pressão contra o líder venezuelano Nicolás Maduro, a quem chamou de “traficante de drogas”. Na ocasião, o chanceler Ernesto Araújo acompanhou Pompeo nas críticas e disse que Maduro deve cair “para o bem dos venezuelanos e de todos”.

Veja o trecho:

“Em 2019, o Brasil foi vítima de um criminoso derramamento de óleo venezuelano, vendido sem controle, acarretando severos danos ao meio ambiente e sérios prejuízos nas atividades de pesca e turismo. O Brasil considera importante respeitar a liberdade de navegação estabelecida na Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar. Entretanto, as regras de proteção ambiental devem ser respeitadas e os crimes devem ser apurados com agilidade, para que agressões como a ocorrida contra o Brasil não venham a atingir outros países.”

Tudo o que sabemos sobre:

óleoVenezuelaONUAssembleia-Geral da ONU