Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro: ‘Não dê munição a canalha’

Vera Magalhães

Jair Bolsonaro se manifestou, pelo Twitter e de forma indireta, a respeito da soltura de Lula. “Iniciamos há poucos meses a nova fase de recuperação do Brasil e não é um processo rápido, mas avançamos com fatos. Não dê munição ao canalha, que momentaneamente está livre, mas carregado de culpa”, escreveu o presidente, num post em que anexou um vídeo em que faz elogios ao ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Bolsonaro tenta, assim, reaglutinar aqueles que votaram nele em 2018, mas, de acordo com pesquisas de avaliação do governo, rejeitam suas ações. Termina com o slogan de campanha: “Brasil acima de tudo! Deus acima de todos!”.

Em outro tuíte, o apelo pela união de sua “tropa”, que já vinha se dispersando, fica mais explícito: “Amantes da liberdade e do bem, somos a maioria. Não podemos cometer erros. Sem um norte e um comando, mesmo a melhor tropa, se torna num bando que atira para todos os lados, inclusive nos amigos”, diz, numa clara referência ao fogo amigo do PSL, por exemplo, e às acusações feitas por expoentes da direita de que ele e seu grupo comandam milícias virtuais nas redes sociais, algo que alimenta, por exemplo, a CPMI das Fake News.