Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro: ‘No fim, quem paga o pato sou eu’

Equipe BR Político

Nesta terça-feira, 7, o presidente Jair Bolsonaro voltou a insistir na redução do ICMS sobre combustíveis para conter a alta dos preços. O chefe do Executivo também aproveitou para criticar os governadores por não apoiarem a proposta. “No fim, quem paga o pato sou eu”, reclamou. “Alguns me falam para conversar com os governadores, mas a maioria está quebrada. Se for conversar é: ‘eu topo, presidente, mas qual é a compensação?'”, disse Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada.

Na semana passada, após assistir o preço do barril do petróleo Brent saltar 3,6% pelo acirramento das tensões entre Estados Unidos e Irã, Bolsonaro afirmou que uma elevação no preço do petróleo poderia ser compensada por diminuição nas alíquotas do ICMS, imposto de competência estadual.

“Queremos a reforma Tributária, temos insistido, a palavra final vai ser do Paulo Guedes, vamos tratar dos impostos federais apenas. Se o Congresso topasse que o porcentual do ICMS tem que incidir no preço da refinaria estaríamos bem, mas o que acontece é alguns governadores ou grande parte sempre vê o momento de arranjar mais recursos com essa estratégia do preço médio no final da bomba. E quem está pagando o pato sou eu”, criticou o presidente.