Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro pensa em ‘baixar decreto amanhã’ pró-abertura de comércio

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta tarde de domingo, 29, depois de voltar de um rolê por Brasília, que está pensando em baixar um decreto na segunda-feira, 30, liberando o comércio formal e informal diante da pandemia do coronavírus. “Toda e qualquer profissão legalmente, existente ou que é voltada para a informalidade, se for necessária para levar o leite para seus filhos e o arroz e feijão para tua casa, vai poder trabalhar”, disse ele à imprensa após fazer uma longa exposição de argumentos pela volta à normalidade do comércio. Brasília funciona hoje sob o decreto do governador Ibaneis Rocha, que determinou o fechamento de lojas e shoppings.

As justificativas usadas para desrespeitar as recomendações sanitárias de contato físico foram as de que um chefe de Estado precisa estar “ao lado do povo” ou na linha de frente com seu soldado e também agir “como homem, não como moleque com a realidade”. Também reiterou que se faltar dinheiro na economia, não haverá pagamento de servidor público. Outro argumento a favor da reabertura total do comércio é o fato de que, segundo lhe informou a ministra Damares Alves, aumentou o número de violência doméstica com o confinamento social e os casos de neurose dentro das clínicas psiquiátricas. “Tem mulher apanhando em casa. Por quê? Em casa que falta pão, todos brigam e ninguém tem razão. Só ir nas clínicas psiquiátricas. Tem gente ficando neurótica”, afirmou.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonarodecretocoronavírus