Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro poupa STF e foca ataques em Lula

Vera Magalhães

Jair Bolsonaro quebrou de vez o silêncio que vinha guardando desde que o STF reviu a posição em relação ao cumprimento de penas de prisão após condenação em segunda instância, o que levou na sexta-feira à soltura de Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente manteve a disposição, transmitida como ordem a ministros e assessores, de não criticar de nenhuma forma a decisão do STF –Corte que ainda vai julgar o mérito de duas liminares que beneficiaram seu filho Flávio Bolsonaro, paralisando as investigações sobre seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

Mas depois de dois tuítes com críticas indiretas, sem citar o nome do rival, Bolsonaro fez menção a Lula ao deixar o Palácio da Alvorada no início desta tarde. “A grande maioria do povo brasileiro é honesto, trabalhador, e nós não vamos dar espaço nem contemporizar com um presidiário. Ele tá solto, mas continua com todos os crimes dele nas costas”, afirmou o presidente.

Ele confirmou que suas postagens mais cedo no Twitter se referiam a Lula, aventou a possibilidade de fazer novas postagens mais tarde e negou que pretenda participar dos atos marcados para esta tarde a favor da prisão em segunda instância: disse que assistirá aos jogos do Campeonato Brasileiro depois de um churrasco. Ir aos atos seria visto como crítica ao STF, algo que o presidente, como eu disse no início deste texto, não fará em nenhuma hipótese.