Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro preocupado com colecionadores e atiradores

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Enquanto crescem os casos de coronavírus no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro trabalha em uma de suas “prioridades”: a flexibilização do porte e posse de armas de fogo. Por meio de sua redes sociais ele anunciou que revogou três portarias do Comando Logístico (Colog) que fortaleciam o rastreamento, identificação e marcação de armas de fogo e munições. Segundo Bolsonaro, a decisão veio porque as portarias “não se adequavam” as suas diretrizes definidas em decretos.

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro Foto: Gabriela Biló/Estadão

A medida foi apoiada também nas redes sociais pelo filho do presidente Eduardo Bolsonaro. “Atiradores e CACs sempre apoiaram Bolsonaro para que tenhamos pela primeira vez um Presidente não desarmamentista. É inadmissível que a Colog faça portarias restringindo a importação”, afirmou. “A quem isso interessa? Certamente não ao Presidente, que determinou a revogação destas portarias. Mais medidas virão.”

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonaroarmas de fogoporte de armas