Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro pressionou Moro para que a PF fechasse cerco a Maia

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Trechos de conversas vazados pela deputada Carla Zambeli (SP) à rede de TV CNN mostram algo que era comum ao presidente Jair Bolsonaro e a deputados bolsonaristas nos últimos meses: a pressão sobre o então ministro da Justiça Sérgio Moro para que a Polícia Federal “pegasse” o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

A falta de um indiciamento do deputado era uma das razões de descontentamento de Bolsonaro com Moro e com o ex-diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo, segundo confirmaram ao BR Político fontes ligadas à instituição.

Na mensagem que ela mesma vazou, sem se dar conta de que estava revelando mais um flanco de pressão política sobre a PF, Carla Zambelli questiona Moro sobre a investigação sobre Maia era de responsabilidade da Polícia Federal. Moro responde que sim, mas que a investigação corre junto ao STF.

Encaminha, então, reportagem mostrando que num dos casos a PF chegou a apontar indícios de crimes contra Maia, mas que a então procuradora-geral da República Raquel Dodge arquivou. “Há outras investigações em curso”, limitou-se a responder o ex-ministro.

A insatisfação com o que considerava tratamento pouco contundente em relação a Maia era manifestada por Bolsonaro e pelo seu entorno, na família e no Congresso.

Caso seja chamado a depor no inquérito que vai apurar suas denúncias de pressão política de Bolsonaro sobre a PF, Moro pode ser instado a falar também sobre esses episódios.