Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro procurou partidos porque faltam votos

Marcelo de Moraes

As contas começaram a ser feitas pelos defensores da reforma da Previdência dentro do governo e no Congresso. A constatação foi que, hoje, a proposta não tem apoiadores suficientes que garantam a sua aprovação. Por isso, Jair Bolsonaro decidiu rever sua estratégia de não negociar com os presidentes de partidos e começou a recebê-los hoje.

Sem articulação política e dependendo do empenho da equipe econômica para vender a reforma para os parlamentares, o governo descobriu o óbvio: sem votos, a proposta morrerá. Em sondagens informais, alguns números assustaram os defensores da reforma. Mesmo sendo defensor histórico da reforma da Previdência, o PSDB teria hoje nove deputados federais contrários à reforma como um todo. Com esses dados no radar, Bolsonaro percebeu que buscar o apoio político de partidos do Centrão será fundamental para tentar aprovar a reforma. /M.M.

Tudo o que sabemos sobre:

Partidos políticos