Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Bolsonaro provoca Doria contra vacinação obrigatória: ‘Médico do Brasil’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro cada vez politiza mais a campanha de vacinação contra o novo coronavírus. Nesta manhã de segunda, 19, sem citar o nome do governador João Doria (PSDB-SP), ele afirmou que “tem um governador que está se intitulando o médico do Brasil dizendo que ela (vacina) será obrigatória, e não será”. O chefe do Palácio do Planalto voltou a dizer que uma possível vacina contra a covid-19 não será obrigatória.

“A lei é bem clara e quem define isso é o Ministério da Saúde. O meu ministro da Saúde já disse que não será obrigatória essa vacina e ponto final”, disse para apoiadores nesta manhã na saída do Palácio da Alvorada. Bolsonaro e Doria são eventuais adversários da eleição presidencial de 2022.

Na sexta, 16, o governador de São Paulo declarou que a vacinação contra a covid-19 no Estado será obrigatória. “Já garanti que aqui os 45 milhões de brasileiros de São Paulo serão vacinados e a vacinação será obrigatória, exceto se o cidadão tiver uma orientação médica e um atestado médico que não pode tomar a vacina. E adotaremos as medidas legais se houver alguma contrariedade nesse sentido”, disse Doria.

Doria também defendeu mais atenção do governo federal para a Coronavac, vacina produzida em parceria do Instituto Butantã com o laboratório chinês Sinovac. “A data final para decisão é no dia 21 (de outubro). Não faltam mais informações, não faltam mais dados, não faltam mais elementos para que o ministério (da Saúde) possa decidir e a Anvisa tomar a sua decisão, dados os resultados dessa terceira e última fase da testagem da vacina Coronavac”, completou.

Tudo o que sabemos sobre:

coronavacJoão DoriavacinaJair Bolsonaro