Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro replica vídeo em que feirante chama governadores de ‘canalhas’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Menos de 12 horas após fazer um novo pronunciamento em cadeia nacional em tom menos beligerante que o anterior, o presidente Jair Bolsonaro voltou sua artilharia nesta manhã de quarta, 1, contra governadores e prefeitos no combate ao coronavírus.

Seu perfil no Facebook e no Twitter reproduziu vídeo com a reclamação de um homem no Ceasa em Belo Horizonte sobre o baixo movimento no local. “Isso aqui, ó (espaço vazio), é culpa dos governadores. Porque o presidente está brigando incessantemente para que haja uma paralisação responsável: não paralisar todos os setores, quem não é do grupo de risco voltar a trabalhar”, diz o desconhecido.

O feirante diz que tem de olhar os dois lados. “É isso que o presidente está querendo fazer, e essa corja de governadores canalhas estão aí, cada um por si, igual a uma manada de burro, dando tiro para todo lado, querendo ganhar  nome e projeção política à custa do sofrimento da população”, diz o comerciante. Afirma que se demorar a retomar a economia já terá acontecido “quebradeira geral”, tumulto e “desespero na vida de muitas famílias”. No entanto, reportagem da CBN nesta manhã informou que o movimento na Ceasa está “normal”, que não há risco de desabastecimento, com base em depoimento da gerência do local, e acrescenta que às terças, quando supostamente teria sido gravado o vídeo, o mercado fica mais vazio porque é o dia de limpeza e desinfecção.

Na véspera, Bolsonaro falara em trabalho conjunto com governadores e prefeitos. Também havia recuado do discurso de que era preciso retomar as atividades econômicas, que, agora, parece resgatar ao postar o vídeo do feirante.

“Não é um desentendimento entre o Presidente e ALGUNS governadores e ALGUNS prefeitos. São fatos e realidades que devem ser mostradas. Depois da destruição não interessa mostrar culpados”, escreveu na sequência o presidente na rede.