Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro se diz ‘alvo’ de Doria e Witzel

Equipe BR Político

Nesta quinta-feira, 6, o presidente Jair Bolsonaro distribuiu alfinetadas a dois desafetos: os governadores de São Paulo e Rio de Janeiro. Os comentários foram feitos na saída do Palácio da Alvorada. Segundo Bolsonaro, tanto João Doria (PSDB-SP), quanto Wilson Witzel (PSC-RJ) o elegeram como “alvo” na eleição de 2022.

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro Foto: Felipe Rau/Estadão

Bolsonaro reagiu à declaração de Doria de que a postura de Bolsonaro ao desafiar governadores sobre mudanças na regra do ICMS é populista. “Dois governadores que estão me criticando, isso não é populismo, é vergonha na cara”, disse. E reclamou: “Ele usou o BolsoDoria o tempo todo. Estava pau a pau com o França (Márcio França, então candidato). Fui útil até aquele momento”, reclamou.

Ao falar de Witzel, Bolsonaro ironizou a crise da água da Cedae. “Em vez de mostrar o serviço deles… pergunta para o Witzel como é que está a água do Rio de Janeiro. Alguém quer tomar um copo de água do Rio de Janeiro aí? Agora botaram detergente na água, olha que coisa linda. Agora, problema dele, eu não vou dar pancada nele. Ele que tem que resolver”, disse Bolsonaro.

Também nessa conversa com jornalistas, o presidente voltou a criticar a imprensa. Ele afirmou que “não vai broxar” para atender a imprensa. “Não estou preocupado com reeleição. Pode continuar escrevendo o que você bem entender. Não vou broxar para atender vocês, pensando em reeleição. Eu sou imbroxável”, disse o presidente da República.