Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Presidente se diz disposto a conversar com Adélio

Equipe BR Político

Na manhã desta quarta-feira, 31, o presidente Jair Bolsonaro comparou o Adélio Bispo, que esfaqueou durante a campanha eleitoral de 2018, ao prefeito de Santo André (SP) assassinado por “queima de arquivo” e disse temer por sua segurança. Bolsonaro ainda se disse disposto a conversar com Adélio ou algum familiar. “A defesa de Adélio fez a opção de passá-lo por maluco, mas ele tem a chance de falar agora”, disse . “Estou dando uma chance porque ele está condenado, então tem que ser rápido porque o caso Celso Daniel foi muito rápido, foram nove vítimas executadas por queima de arquivo no processo todo”, disse Bolsonaro. O presidente ainda associou o ataque de que foi vítima e o assassinato de Celso Daniel “à esquerda”.

O presidente disse, também, que não há quebra de decoro em suas falas sobre a morte de Fernando Santa Cruz, pai do presidente da OAB), Felipe Santa Cruz. “Não tem quebra de decoro, quem age dessa maneira perdeu o argumento. A história tem dois lados e não pode valer um lado só”, disse. Bolsonaro ainda repetiu que “não tem verdade nenhuma” nas revelações da Comissão da Verdade. “Alguém acredita que o PT está preocupado com a verdade? Quando falaram em ‘comissão da verdade’ todo mundo riu do nome”.