Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro: sem dar holofote a Lula

Vera Magalhães

A orientação que Jair Bolsonaro deu à equipe é que evite reagir a críticas e discursos de Lula. A ideia é não dar holofote ao petista, pois é isso que ele quer: ser o contraponto mais visível ao Executivo e ter atenção a cada declaração que der daqui para a frente. Reportagem do Globo deste domingo mapeia a reação do bolsonarismo à soltura de Lula.

O fato é que essas estratégias tendem a naufragar diante do afã dos aliados de mostrar fidelidade a Bolsonaro e de arregimentar de volta a tropa. Ministros como Abraham Weintraub (Educação) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil) usaram suas redes sociais para responder ao discurso do petista em São Bernardo do Campo. O mesmo fizeram parlamentares do PSL aliados de Bolsonaro. Até mesmo o presidente rodeou, rodeou, mas acabou se referindo de forma indireta ou direta a Lula no Twitter e em declarações na saída do Alvorada.

Ele também se reuniu com o Exército para conversar sobre a possibilidade de o PT convocar protestos violentos como os do Chile, como chegou a conclamar Lula no palanque do Sindicato dos Metalúrgicos.