Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bolsonaro volta a tentar reivindicar Fundeb como ‘vitória’ do governo

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro voltou a tentar trazer para si o crédito da aprovação da PEC do Fundeb no fim da tarde desta quarta-feira, 22, em frente ao Palácio da Alvorada. A apoiadores, o presidente afirmou que o governo “conseguiu ontem mais uma vitória”. Além de tentar reivindicar para o seu governo a aprovação da proposta que só teve uma tentativa de participação do Planalto no último minuto, Bolsonaro aproveitou para criticar as gestões petistas na área.

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro Foto: Adriano Machado/Reuters

“Queriam 40%, eu queria dar 200%, só que não tem dinheiro. Então foi negociado, passou para 23% em comum acordo e a Câmara e o Executivo mostraram responsabilidade na aprovação do Fundeb ontem. O PT ficou 14 anos no poder e não fez nada”, disse logo antes da cerimônia de arriamento da bandeira nacional.

Apesar do discurso do presidente apontar a medida como uma “vitória” do governo, a aprovação do texto do Fundeb com o relatório integral da deputada Dorinha Rezende (DEM-TO) apresentado ontem na Câmara, foi considerado uma derrota do Planalto. Isso porque a equipe econômica tentou, em negociações que chegaram a atrasar a votação da PEC, desidratar o texto da relatora e atrelar parte do repasse da União ao fundo de educação básica ao programa que pretende lançar de transferência de renda. Sem sucesso, a contribuição federal ao fundo que antes estava prevista para chegar em 20%, passou para 23% no novo texto depois das negociações.

Bolsonaro tentou também se desconectar dos sete deputados que votaram contra a proposta, todos bolsonaristas. “Alguns dizem que a minha bancada votou contra. A minha bancada não tem seis ou sete não, tem muito mais do que isso”, afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair Bolsonarofundebgoverno