Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Boulos diz que terá campanha virtual e Erundina intensificará presencial no último dia

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O candidato à prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL), que foi diagnosticado nesta sexta-feira, 27, com coronavírus, fez um pronunciamento afirmando que se manterá em isolamento nos próximos dias e, em transmissão com a vice da chapa, Luiza Erundina, anunciou que fará lives durante o último dia de campanha eleitoral de sua casa. Boulos realizou o teste depois que a deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL), que esteve com o candidato na sexta passada, testou positivo para a covid-19, na segunda. Na semana passada, o candidato teve agenda de compromissos na rua e em emissoras de TV.

O candidato Guilherme Boulos (PSOL) e a vice Luiza Erundina (PSOL) em campanha

O candidato Guilherme Boulos (PSOL) e a vice Luiza Erundina (PSOL) em campanha Foto: Amanda Perobelli/Reuters

A campanha amanhã tem carreatas marcadas em bairros de periferias da cidade, como Grajaú, Brasilândia, São Mateus e Campo Limpo. Erundina anunciou que participará presencialmente.

A vice de Boulos afirmou que intensificará a participação no último dia frente à confirmação do diagnóstico do candidato. Na transmissão, fez um discurso otimista direcionado a inflamar a militância da campanha. “Está colocado para nós de que precisamos intensificar a campanha no próximo dia, no sábado, à noite inteira do sábado para o domingo”, disse. Com 85 anos de idade, Erundina tem participado presencialmente de carreatas dentro de uma espécie de “Papamóvel”, uma picape com cançamba adptada com placas de acrílico para evitar contato direto com o público. Ela afirmou que entrará “noite adentro” de sábado em campanha. “Vou continuar no meu ‘cata-voto’ cada hora, segundo, minuto do sábado, entrando noite adentro. Estou tranquila, sadia, não tenho nenhum sintoma de nenhuma doença”, afirmou. 

A ex-prefeita disse ver um clima parecido com o vivido de 1988, quando foi eleita na capital. “Às vésperas de uma eleição em que não se imaginava absolutamente ninguém, nem o meu partido, de que teríamos alguma chance de chegarmos lá”, disse.

Boulos afirmou que a campanha pediu que o debate marcado para esta sexta na TV Globo ocorresse de forma virtual. Depois do anúncio do teste positivo do candidato, o debate foi cancelado, conforme as regras previamente acordadas para o evento.

O candidato quis aproveitar o seu diagnóstico para tentar criticar o adversário, Bruno Covas (PSDB) e o governador João Doria (PSDB) sobre a atuação em relação a uma segunda onda. “Milhares de pessoas estão sendo contaminadas não aqui em São Paulo, mas no Brasil. Houve um aumento nas últimas semanas de mais de 20% das internações. Todos os indícios apontam a possibilidade real de uma segunda onda do coronavírus. E o que a gente tem visto da parte da prefeitura e do governo do Estado é uma paralisia para não usar uma palavra dura que é um descaso”, afirmou, antes de mencionar a coletiva sobre a revisão do Plano São Paulo marcada para segunda-feira, 30, um dia depois do primeiro turno. “A necessidade de combate ao vírus está determinada ou subordinada a conveniências eleitorais?”, questionou. 

A própria campanha do candidato, no entanto, não respeitou em ocasiões recomendações de distanciamento social. Houve registros de eventos com aglomerações tanto da campanha de Boulos, quanto de Covas, durante o período eleitoral.

Tudo o que sabemos sobre:

Guilherme BouloscampanhaLuiza Erundina